Organograma
  Conselheiros
  Comissões
  Delegacias
  Fiscalização
   
 
  Código de ética
  Regulamentação
  Atuação do Biomédico
  Resoluções
  Cód. de processo ético
   
 
  Formulários
  Taxas
   
 
  Universidades
  Centros Universitários
  Faculdades
   
  Revista do Biomédico
  Eventos
  Links Úteis
  Consultoria
   
 

Serviços ON-LINE

Caro Biomédico e/ou Empresário da Biomedicina, clique abaixo para saber mais sobre nossos serviços on-line...

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR SERVIÇOS ON LINE...

Conselho,
associação,
sindicato.
Quais as
diferenças?

Entenda as funções de cada órgão, para saber qual procurar de acordo com suas necessidades.

Nem todo o profissional biomédico tem conhecimento das principais funções de cada um dos organismos da Biomedicina. Conseqüentemente, pode enganar-se no momento de buscar atendimento e não procurar o mais adequado para solucionar o seu problema. Saiba quais são as diferenças e as principais atividades dos conselhos, associações e sindicatos:

  • CONSELHOS
    Os conselhos regionais foram criados para regular, orientar e fiscalizar a atividade profissional. São entidades fiscalizadas pelo Conselho Federal, órgão hierarquicamente superior: dele emanam resoluções para os regionais. Cabe a ele julgar em grau de último recurso procedimentos éticos e administrativos.

    Os conselhos regionais têm seu espaço de atuação delimitado por leis constitucionais. Muitas vezes, estão impedidos legalmente de fazer mais pela profissão, senão estarão invadindo a área de outras instituições, como associações e sindicatos.

  • ASSOCIAÇÕES
    As associações são sociedades de cunho científico, criadas com o objetivo de auxiliar os profissionais e estudantes com atividades que agreguem valor aos seus currículos, como cursos, palestras, congressos e jornadas, encontros, simpósios e demais eventos científicos.

    Elas devem cuidar de reciclar os conhecimentos técnico-científicos dos biomédicos, tendo como objetivo atualizá-los diante de uma sociedade que exige cada vez mais qualidade, especialização, excelência e competência. Também oferecem apoio ao profissional biomédico que é proprietário de um serviço, com ferramentas de gestão que melhorem a performance de suas atividades.

  • SINDICATOS
    Os sindicatos têm como missão principal a luta pela melhoria das condições de trabalho, da remuneração dos profissionais, das relações entre proprietários de empresas privadas, públicas e colaboradores, e à defesa da classe, entre outras atividades.

    Eles têm como atribuição específica verificar jornada ideal de trabalho do profissional, piso salarial, acordos anuais, fazendo prevalecer todos os direitos trabalhistas garantidos pela CLT.

MAIOR PARTICIPAÇÃO

Os dirigentes dos Conselhos Regionais de Biomedicina (CRBMs), das associações científicas, como a Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM) e dos sindicatos, como o Sindicato dos Biomédicos Profissionais do Estado de São Paulo (Sinbiesp), são profissionais que têm os mesmos anseios de todos os demais biomédicos. São prestadores de serviços ou proprietários de empresas de apoio diagnóstico que dedicam parte do seu tempo para representar, defender e auxiliar a categoria, sem remuneração ou ascensão profissional em função dessa colaboração.

Todos os profissionais biomédicos devem participar das atividades dos conselhos, associações e sindicatos. É fundamental a colaboração do profissional para o crescimento da classe.

Os dirigentes dessas entidades lamentam constantemente a ausência do profissional biomédico nas causas da classe, não sentem interesse geral, espírito de corpo, nem vêem o surgimento de novas lideranças em número satisfatório, profissionais que estejam dispostos a utilizar a estrutura conquistada pela Biomedicina e avançar.

Estão faltando profissionais que queiram se dar para as causas dos biomédicos. Independentemente da região, seria excelente que todos procurassem seus conselhos regionais, associações ou sindicatos e oferecessem sua colaboração com trabalho.

"A união da categoria é fundamental para que se alcance o objetivo de consolidar a estrutura ideal da profissão", considera o presidente do Conselho Regional de Biomedicina, Marco Antonio Abrahão. "Em todos esses níveis de estrutura deve existir um trabalho em harmonia, definindo atribuições de cada órgão de acordo com as necessidades da categoria e respeitando sempre as peculiaridades de cada região, para que todos os organismos possam agir com competência", acrescenta. "Mas como isso ainda não vem ocorrendo de forma plena, os direitos dos biomédicos acabam não prevalecendo".

 
VOLTAR PARA HOME NOSSA LOCALIZAÇÃO ENTRE EM CONTATO CONOSCO DOSSIÊ DIRETRIZES CURRICULARES